Geneall.pt | Geneall.net | Índice | Fórum | Guarda-Mor | Livraria
Marcelo José das Neves Alves Caetano
FSXXMC-pg. 195
GEPB-vol. 05-pg. 388
GEPB-vol. 2-sup-pg. 500
GLP-pg. 114
Marcelo José das Neves Alves Caetano
Pais
Pai: José Maria Alves Caetano * 01.10.1863
Mãe: Josefa Maria das Neves * 25.07.1859
Filhos
Notas Biográficas
  • Estadista e professor universitário
  • Presidente do Conselho de Ministros (1968-1974)
  • Licenciado em Direito (UL), foi o primeiro a doutorar-se nesta Universidade.
  • Autor do Código Administrativo (1936)
  • Ministro das colónias (1944), presidente da Câmara Corporativa (1949), ministro da Presidência (1955)
  • Reitor da Universidade de Lisboa (1959-1962)
  • Director do Instituto de Direito Comparado da Universidade Gama Filho, Brasil (1974-1980)
Cargos e Profissões
Cronologia
  • 02.08.1950
    Paulo Arsénio Verissimo Cunha assume o Ministério dos Negócios Estrangeiros, substituído interinamente por Marcello José das Neves Caetano, ministro da Presidência.
  • 19.03.1968
    Por decisão do Conselho de Ministros chefiado por Marcelo Caetano, Mário Soares é detido pela PIDE e deportado para a ilha de São Tomé, onde lhe é fixada residência.
  • 26.09.1968
    Cessa funções como chefe do governo António de Oliveira Salazar. Marcelo Caetano assume o cargo.
  • 15.11.1968
    O governo presidido por Marcelo Caetano extingue o SNI (Secretariado Nacional de Informação), responsável pela propaganda do Estado Novo, e cria a Secretaria de Estado da Informação e Turismo.
  • 06.09.1969
    O jornal francês "L' Aurore" publica uma entrevista com Salazar conduzida por Edmond Faure. O antigo presidente do Conselho revela desconhecer que já não exerce o cargo e, nomeadamente, lamenta a indisponibilidade de Marcelo Caetano - já então em plenas funções como chefe do governo - para colaborar com ele.
  • 06.10.1969
    Marcelo Caetano assume interinamente a pasta dos Negócios Estrangeiros.
  • 17.11.1969
    O governo chefiado por Marcelo Caetano extingue a PIDE e cria a DGS (Direcção Geral de Segurança) à qual cabem exactamente as mesmas funções.
  • 21.02.1970
    No decorrer do V Congresso da União Nacional, Marcelo Caetano propõe a alteração da designação do partido único para Acção Nacional Popular.
  • 05.05.1970
    Em substituição da Censura Prévia, Marcelo Caetano cria o Exame Prévio.
  • 21.08.1970
    O governo de Marcelo Caetano nomeia Maria Teresa Lobo para o cargo de subsecretário de Estado da Saúde e Assistência. É a primeira vez que uma mulher ocupa um cargo de governo em Portugal.
  • 06.01.1971
    Na sequência de iniciativas diplomáticas promovidas pelo chefe do governo, Marcelo Caetano, iniciam-se conversações exploratórias entre Portugal e a Comunidade Económica Europeia.
  • 13.07.1973
    O governo de Marcelo Caetano incentiva por decreto a passagem dos oficiais milicianos ao quadro permanente mediante um curso intensivo de dois semestres na Acdemia Militar, pretendo atenuar as carências de oficiais intermédios na geurra de África.
  • 24.11.1973
    Reunido em S. Pedro do Estoril, o Movimento dos Capitães equaciona pela primeira vez a reivindicação do fim da guerra colonial e o eventual derrube do governo de Marcelo Caetano.
  • 14.03.1974
    Os generais Francisco da Costa Gomes e António Spínola são demitidos dos cargos de chefe e vice-chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas por falta de confiança política do governo, na sequência da sua falta de comparência na cerimónia de apoio à política ultramarina convocado pelo presidente do conselho, Marcelo Caetano, a que acorreu a quase totalidade dos oficiais superiores dos três ramos das forças armadas.
  • 24.03.1974
    Última reunião clandestina da Comissão Coordenadora do MFA em que é agendada para a semana de 20 a 27 de Abril o golpe de Estado que irá derrubar o governo de Marcelo Caetano.
  • 25.04.1974
    Revolução democrática em Portugal . Toma posse como presidente da república António de Spínola, substituindo o almirante Américo Tomás. Do mesmo modo, Marcelo Caetano é afastado da chefia do governo.
  • 26.04.1974
    Américo Tomás, Marcelo Caetano, Silva Cunha e Moreira Baptista são transportados para a ilha da Madeira onde se mantêm em regime de residência vigiada.
  • 20.05.1974
    A Junta de Salvação Nacional autoriza a partida de Américo Tomás e Marcelo Caetano para o exílio. O Brasil será o destino dos dois antigos governantes.
  • 06.09.1974
    São libertados todos os membros do governo de Marcelo Caetano que tinham sido detidos depois de 25 de Abril.
  • 15.04.1981
    São transferidos para a Biblioteca Nacional os arquivos de Salazar e Marcelo Caetano.
Links Relacionados
Correcções / Actualizações