Geneall.pt | Geneall.net | Índice | Fórum | Guarda-Mor | Livraria
António José de Sousa Manoel de Meneses Severim de Noronha, 1º duque da Terceira
GEPB-vol. 31-pg. 330
MHGDP-pg. 241
ONSCVV-pg. 3
António José de Sousa Manoel de Meneses Severim de Noronha, 1º duque da Terceira
Pais
Casamentos
Casamento I: 05.08.1811
D. Maria José do Sacramento e Mello * 17.10.1793

Casamento II: Rio de Janeiro 23.04.1821
Maria Ana Luisa Filomena de Mendoça * 05.12.1808

Filhos
Filhos do Casamento I:
Filhos do Casamento II:
  • Não houve descendência deste casamento
Títulos, Morgados e Senhorios
Cargos e Profissões
Ordens
Cronologia
  • 28.03.1828
    O duque da Terceira é exonerado do governo das armas da província do Alentejo.
  • 22.06.1829
    Chegada do duque da Terceira a Vila da Praia como capitão-general, nomeado por Palmela em Londres.
  • 14.12.1829
    Nomeação de Sá Nogueira para ajudante às ordens do conde de Vila Flor.
  • 15.06.1830
    D. Pedro, do Rio de Janeiro, confirma a Regência da ilha Terceira: Palmela, Terceira e Guerreiro.
  • 23.04.1831
    As forças liberais, comandadas pelo conde de Vila Flor, desembarcam na ilha do Pico em encontrar resistência.
  • 03.03.1832
    D. Pedro chega à ilha Terceira. Assumindo a regência, nomeia um Ministério que integra, entre outros, Palmela, Mouzinho e Freire. Terceira general, fica sob o comando do regente.
  • 05.11.1832
    Carta do regente D. Pedro louvando a chefia militar do conde de Vila Flor, que deixa as funções de comandante em chefe do exército liberal, substituído pelo próprio D. Pedro.
  • 08.11.1832
    Decreto agraciando o conde de Vila Flor com o título de Duque da Terceira, conferindo-lhe 100 contos de reis em bens nacionais.
  • 24.03.1833
    Ataque cerrado à cidade do Porto pelas tropas miguelistas do conde de São Lourenço. As forças liberais, comandadas por Terceira, tomam o Monte das Antas.
  • 24.07.1833
    Entrada das tropas do duque da Terceira em Lisboa, depois de ter destroçado na véspera, em Almada, o exército miguelista, comandado por Teles Jordão, que é linchado pelas tropas enraivecidas.
  • 03.04.1834
    No Minho, as tropas liberais ocupam Valença enquanto Terceira se desloca para o centro do país.
  • 16.05.1834
    Batalha de Asseiceira, em que as tropas liberais do duque da Terceira desbaratam as forças miguelistas, abrindo caminho para a tomada de Santarém, último reduto realista.
  • 00.00.1835
    Concessão de 100 contos de réis de aos marechais duque da Terceira e marquês de Saldanha, tentando diminuir a rivalidade entre os dois.
  • 20.03.1835
    Augusto de Leuchtenberg é nomeado Marechal-general do Exército. O duque da Terceira é nomeado Chefe do Estado-Maior do Exército.
  • 11.09.1836
    O governo do duque da Terceira demite-se, e a Rainha jura a Constituição de 1822, nos Paços do Concelho de Lisboa. O novo governo será presidido pelo conde de Lumiares, e dirigido politicamente por Manuel da Silva Passos e Sá da Bandeira.
  • 18.08.1837
    O marechal duque da Terceira abandona Lisboa, com intenção de se juntar às forças revoltadas, com uma pequena força de artilharia, cavalaria e infantaria.
  • 07.10.1837
    Assinatura da Convenção de Chaves. As tropas sublevadas ficavam à disposição do governo. Os oficiais manteriam os seus postos, mas seriam pagos de acordo com a tarifa de 1719. Os chefes da revolta - Saldanha, Terceira, Palmela, Silva Carvalho e Mouzinho de Albuquerque - abandonam o País.
  • 09.02.1842
    O ministério Palmela cai e o duque da Terceira é escolhido para presidir ao novo ministério.
  • 20.05.1846
    Queda do Gabinete presidido pelo duque da Terceira devido à revolução. Exílio dos irmãos Cabrais, que se dirigem para França a bordo do vapor Pachá.
  • 20.05.1846
    António José de Sousa Severim de Noronha, duque de Terceira, assume interinamente a Secretaria de Estado dos Negócios Estrangeiros.
  • 10.10.1846
    O duque da Terceira, mandado ao Porto como lugar-tenente da Rainha, é preso.
  • 26.06.1851
    Criação de um centro eleitoral cabralista, tendo o duque da Terceira como como chefe e José Castilho como redactor do jornal, e o apoio do marquês de Fronteira e António José de Ávila. José Bernardo da Silva Cabral escreve a Saldanha anunciando a sua oposição ao governo devido à promulgação da nova lei eleitoral.
  • 29.04.1858
    Casamento por procuração, na igreja de Santa Hedwiges em Berlim, de D. Pedro V e D. Estefânia, sendo o rei representado pelo duque da Terceira.
  • 16.03.1859
    Após cessar funções como chefe de governo Nuno José de Mendoça Rolim de Moura Barreto, o duque da Terceira forma novo governo, em que acumulará as pastas dos Estrangeiros e da Guerra, e que será composto por Fontes Pereira de Melo no ministério do Reino, Martens Ferrão na Justiça, Casal Ribeiro na Fazenda, António de Serpa Pimentel nas Obras Públicas e Ferreri na Marinha e Colónias; todos políticos regeneradores.
  • 24.04.1860
    Devido à doença do duque da Terceira, este é substituído nas pastas dos Negócios Estrangeiros, por Casal Ribeiro, e na Guerra, por António Serpa.
  • 01.05.1860
    Joaquim António de Aguiar assume a Presidência do ministério, devido à morte do duque da Terceira, sem ocupar nenhuma pasta. António Serpa é substituído na secretaria de estado da Guerra pelo visconde da Senhora da Luz, o general Joaquim António Velez Barreiros.
  • 00.07.1860
    O governo regenerador de Aguiar, enfraquecido desde a morte do duque da Terceira, pede a demissão no seguimento do debate sobre o crédito predial, ou hipotecário.
  • 20.12.1876
    Funeral do marechal Saldanha, tomando parte dele toda a guarnição de Lisboa. O corpo foi depositado no Mosteiro de S. Vicente de Fora, à entrada do jazigo real, em frente ao túmulo do duque da Terceira.
Links Relacionados
Correcções / Actualizações